O Lar Escola de Educação

“Nessa Oficina familiar a dormação da alma ia completar a formação do corpo. Dar a vida natural é o menor; o mais importante é desenvolver nos filhos a vida divina. Eis o objeto da educação, ciência suprema tantas vezes desconhecida, “arte da arte” que se esforça por esculpir a divina efíge, não em qualquer matéria plástica, mas em plena substância espiritual.

A criança é considerada como um depósito recebido das mãos do Criador: o serviço a prestar-lhe deve consistir em educá-la para altos ideais. A oração formulada por cada recém-nascido: “Senhor, os meus votos são que este Vos seja consgrado; levai-o para Vós antes que se perca”, indica a altura do ideal visado.

Nesse lar modelo a frente única formada pelos pais nunca se dividia. ambos procuravam estabelecer na própria casa- e no seu prolongmento natural, o instituto de ensino cuidadosamente escolhido pelo sei carácter religioso – ambiente, costumes e clima que levassem espontêneamente à pratica da virtude. E assim previniam o mal, que é ainda a melhor maneira de o curar.

A alma desta educação era a confiança. As suas cartas mostram-nos que se aplicava com uma admirável lucidez a conhecer o seu rebanho, para aplicar a cada alma o tratamento próprio.

A mãe possuia o dom de estimular a generosidade. A sua táctica consistia em explorar os incidentes quotidianos para ensinar as filhas a vencerem-se. Nem as teorias nem os grandes motivos abstractos têm ação sobre imaginações essencialmente concretas.

Para formar as filhas utilizava os meios singelos dos deveres de estado, propondo para lhes estimular a fidelidade, motivos essencialmente sobrenaturais: um pecador a converte, Jesus a consolar, o Céu a ganhar.” Historia de uma família

Quanta riqueza na vida dessa Santa Família.
Beatos Zelia e Luiz, Rogai por nossas famílias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *