web analytics

Benditas Crises

Uma crise pode ser uma coisa boa

Papo cabeça

0

flor-entre-as-pedras_400Este post é dedicado ao fundador da Comunidade Totus Mariæ e a todos os fundadores de Novas Comunidades.

No mês passado, estava eu conversando sobre assuntos da Comunidade com nosso fundador, quando ele parou e disse: “Mudando de assunto: o que é que você tem, que está esquisita?”

E eu estava, mesmo. Estava novamente naquelas disputas com Deus, explicando para Ele os motivos pelos quais não podia fazer certas coisas e justificando algumas restrições que estava impondo aos Seus caminhos para minha vida. Além disso, eu vinha achando plenamente corretas as minhas objeções. Eram lógicas e sensatas! Mas o tempo de Comunidade e o lombo marcado pela experiência me permitiram pelo menos ouvir o alerta do fundador para o momento que estamos vivendo, etc etc.

Depois dessa conversa, em vez de cair na usual revoltinha dos insensatos, dei uma chance para o Espírito Santo me esclarecer. Comecei a me lembrar de um diálogo interior que tive uns tempos atrás, no qual me questionei o que faria da vida se não fosse seguir minha vocação. E começou a me vir à lembrança uma música do Lulu Santos! Mas a letra me veio aos poucos:

Eu vou indo à vida…
como um faminto em um prato de comida.

E pensei: é isso! É isso! É isso! É assim que preciso agir diante do que Deus me propõe! O faminto não vai ficar verificando se terá comida depois, não ficará esperando que venha outro prato de comida melhor se ele já tem um pronto na frente: ele não sabe se terá outra oportunidade de comer! E eu? terei outra chance de viver plenamente o que Deus tem para mim, se ficar olhando em volta esperando coisas diferentes dEle, pensando no depois sem viver o agora, deixando passar o que Ele me propõe hoje?

Mas a música tinha ainda mais: depois me lembrei de mais um trecho:

Eu vou indo à vida com a determinação de um trem,
como um faminto em um prato de comida.

O que é que detém um trem? Entendi! Era exatamente isso! É dessa forma que preciso ir em direção ao que Deus me indica: com a determinação de um trem, que não pára por qualquer coisa. Eu estava com o freio de mão puxado, hesitando em algo que não tem importância realmente. O discernimento foi feito, é dele que precisa vir essa determinação de um trem no seguimento do meu chamado.

Lulu Santos não compôs uma música católica e o contexto de sua inspiração era outro. Mas sou grata a ele e por ele rezo e espero em Deus que tenha seu lugar reservado na eternidade, por causa desta sua composição. No começo da letra ele fala de estar procurando ver “o lado zen” das coisas, mas vejam a conclusão:

Pois sempre houve espinhos
na rosa de qualquer jardim.
E, se há calor no ninho,
há pedras no caminho
que, mesmo assim, é belo.

Tantas vezes se ouve dizer: “Ah, mas viver o que Deus propõe exige sacrifício, sofrimento”… Mas gente, me indiquem uma pessoa deste mundo que não sofre nada! Até quando vão usar essa desculpa amarela, enferrujada e sem sentido, para justificar tantas fugas e desistências covardes dos caminhos de Deus? Toda rosa tem espinhos!… O caminho tem pedras mas, mesmo assim, é belo!

E então, o que você achou?

  •