web analytics

Benditas Crises

Uma crise pode ser uma coisa boa

Divina Providência! Divina Providência!

0

Quem sofre deve, a cada golpe, olhar para o Céu. Tudo vem do Alto. Não compreendemos os desígnios de Deus.

Mistério dos mistérios é o da Divina Providência! Há ocasiões em que o enigma se nos apresenta espantoso, torturante. Passamos por uma das provas mais difíceis de nossa fé quando a Providência, por estradas tortuosas, leva-nos ao cumprimento dos seus eternos desígnios.

Os juízos da Providência são incompreensveis. Deus começa reduzindo ao nada aqueles que Ele encarrega de alguma missão. A morte é o caminho pelo qual nos conduz ordinariamente à Vida. “Ninguém compreende por onde Ele passa”, diz Monsenhor Gay. Sim, meu Deus, ninguém compreende por onde passais nem o que quereis de nós nesta aflição, neste golpe, nesta morte, neste fracasso de uma obra! Tudo foi preparado no Céu. Mas de uma coisa podemos ter certeza, embora nos levem as aparências a negá-lo: foi para o bem de nossas almas! 

Nosso Senhor revelou a Santa Madalena Postel que ela seria fundadora de uma comunidade, mais tarde bem numerosa. Entretanto, durante trinta anos Deus parecia empenhado em impedir a obra, que passou pelas mais duras provas, por insucessos e fracassos repetidos. Conheceis a história edificante e dolorosa da fundação de tantas ordens e institutos que são hoje a glória da Igreja? Insondáveis desígnios de Deus, mas, estejamos certos, desígnios de misericórdia e de amor!

Dizia a Madre Maria do Santíssimo Sacramento, fundadora das irmãs Franciscanas Missionárias: “Uma das nossas grandes alegrias no Céu será ver, nos planos Divinos, como fomos conduzidos, nos longos caminhos da vida, pelos cuidados da Divina Providência, que sem que o soubéssemos, afastou de nós tantos perigos e colocou em nosso caminho tudo de que tínhamos necessidade para servir aos seus desígnios”. Ó Divina Providência! É para se chorar de amor! Só o pensar em vós comove tanto, meu Deus!

Monsenhor Ascânio Brandão
Breviário da Confiança

E então, o que você achou?

  •