web analytics

Benditas Crises

Uma crise pode ser uma coisa boa

Avaliando suas intenções

0

Pelo menos por 2 vezes Jesus olhou para a multidão que O seguia e perguntou diretamente o que queriam ou qual o motivo de O estarem seguindo. Algumas vezes Ele faz a mesma coisa conosco.

É comum dizermos: “Ah, fulano entrou na igreja/seita tal e qual só pra resolver seus problemas”. Então, é bom avaliarmos se nossas intenções são mesmo puras como exigimos que as de outros sejam!

Voltando ao Evangelho, uma das vezes em que Jesus coloca o povo em cheque é quando o entusiasmo popular já queria proclamá-lo rei. Ele simplesmente virou para trás e disse:

“Quem quiser ser meu discípulo, tome sua cruz de cada dia e me siga”.

Até imagino os comentários depois dessa: “Hóme, já se viu? Rapaz!… a gente querendo fazer dEle aí nosso rei e Ele me vem com essa história de cruz de cada dia? Que birutice! É só mais um daqueles messias que aparecem em cada esquina mesmo, já vi tudo… ‘Tava parecendo bom demais pra ser verdade…”

A passagem em João 6,22-29 é tão explícita quanto essa. O povo, admirado com a multiplicação dos pães, procura Jesus por toda parte e nem sabe direito o que dizer quando O encontra. O comentário de Jesus é simples e direto: “Vocês estão atrás de mim porque querem mais pão, não porque acreditam em quem Eu sou”.

Simplesmente isso: não se segue Jesus para resolver problemas, para dar um jeito no que está errado em nossa vida. O seguimento de Jesus é devido a um encantamento – e não tenho palavra melhor no momento – por Ele. A pessoa de Jesus encanta, apaixona, provoca. Isso se deve a Quem Ele é. Ele nos faz ir além da nossa mediocridade, muito além da conformidade com a lei do menor esforço. A solução de problemas, o acerto de vida, tudo isso tem relativa importância, mas não será com essas intenções que conseguiremos perseverar no seguimento de Jesus.

E então? Por que você segue Jesus? O que você quer dEle?
Deixe que Ele o interrogue, e avalie suas intenções…

E então, o que você achou?

  •